quarta-feira, 14 de março de 2012

Na melancolia das saudades

Hoje acordei com saudades. Saudades melancólicas, do que não volta mais, do tempo passado, vivido e aproveitado. Do vento na cara em um certo lugar bem distante daqui, do clique abusivo de uma máquina fotográfica, de andar sem rumo por aí. Da bolinha de pêlo correndo pra cá e pra lá, da carinha sorrindo com o cabelo fuá, do chá de maçã com canela nas tardes frias das férias. 


Saudades de dançar ouvindo aquela música tocar, saudades do muito antigo e do nem tanto assim, saudades da trança comprida e do trabalho que dá. Da troca de estojos, do enroladinho da cantina e de não ter com que se preocupar. 


Saudades do experimentar, do planejar, do relaxar e do aproveitar. Saudades da cocadinha e da cobertura do bolo na batedeira, saudades de poder ir sem se preocupar, saudades do ficar sem ter hora pra ir. Do gritar e nem se importar quem vai ouvir, de caminhar mais longe, de não precisar dirigir. 


Saudades das incertezas e de saber o que vem por aí. Saudades do mundo menor e de não conhecer ninguém dali. Do sorvete de melão e do passear pela mão. Da ingenuidade do sorrir e da cadeado que guardava todas as nossas lembranças...

Um comentário:

Ale disse...

Que texto mais bonito, mais lindo, mais maravilhoso! ce que escreveu minha cajuzinha?
Ameiiiiii!!!!