segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Pobreza esnobe

A Vila Madalena está pior que a 25 de Março. Fazia um tempinho que não ficava na calçada sentada em um dos barzinhos. Até quando eu ia muitas crianças já passavam vendendo balas e chicletes, mas não com tanta frequência como foi ontem e nem com tanta falta de vergonha.

O primeiro era gordinho, chegou a beirada da mesa, apoiou e falou algo incompreensível. Até que minha amiga viu que ele estava com uma balinha na mão e perguntou quanto era. "Dois reais", respondeu a criança. Ela, de muito bom coração, comprou.

O segundo veio oferecendo chicletes de bolinhas. Dissemos que já havíamos comprado e o dinheiro trocado acabou. O terceiro foi um senhor, vendendo adesivos de times de futebol. Até que não teria sido uma má ideia se ele tivesse oferecido apenas adesivos do São Paulo para os torcedores fanáticos na mesa bem atrás de nós. Mas ele preferiu dar um de cada time para cada pessoa na mesa...

Não satisfeito, o gordinho voltou mais uma vez, oferecendo a mesma bala. Aí, a paciência vai indo pelo ralo e com uma resposta mais ríspida, ele sai de fininho.

Na sequência vem mais um vendendo o mesmo chiclete de bolinhas do outro. A mesma amiga de bom coração, abre a carteira e vê que a única moeda que ela tem é de R$0,25 e a oferece ao menino. Dá pra ele, sem querer comprar o chiclete. Ele pega, vira as costas e vai embora. Um minuto depois, ele retorna, joga a moeda na mesa e diz algo que não compreendemos. Olhamos uma para a cara da outra sem reação com o atrevimento, depois pro molequinho que ia se afastando nas outras mesas e ainda resmugando pelo pouco trocado que lhe demos...

Isso que dá a gente querer ajudar... Ainda esnobam e falam que é pouco...

Nenhum comentário: