quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Absurdamente complicado

O mundo dá voltas e a vida segue seu rumo sem parar um minuto sequer para a gente respirar. E você está lá, feliz, contente, vivendo sua vida no ritmo que sempre quis, fazendo o que sempre quis, escolhendo, olhando, entendendo, se divertindo. O controle está com você, na palma da sua mão. Nada precisa ser diferente do que você realmente quer. Tudo dá certo, o universo conspira a seu favor. Nada que não seja obra do destino, mas ele está gostando bem de você no momento...

E aí tudo vai começando a perder o rumo, sem você perceber, sem você querer, sem você ao menos conseguir lutar contra isso. E todo o controle que estava na palma da sua mão, desaparece, porque nada, nem a mente, consegue lutar contra o coração...

E quando o coração controla sua vida, nada mais faz sentido. A vida perde seu rumo. Os acontecimentos tomam outra direção. O peito aperta. Um certo pavor paira no ar. É ele, o medo do desconhecido ou talvez o medo de que tudo não passe de uma ilusão mais uma vez. O medo de mergulhar de cabeça, mas depois ter que nadar com todas as suas forças para voltar para a superfície e respirar novamente. E começar tudo de novo apavora. Dá medo de tudo ser igual, porque igual é a última coisa que você quer pra sua vida.

E ninguém consegue entender o nó que fica na garganta, até mesmo você. É complicado demais para raciocinar, é difícil demais tentar entender. Melhor seria pedir ao destino para dar uma folguinha pro seu coração, porque afinal, não era a hora. Mas ele é assim mesmo, sempre vai te pregar surpresas e quando menos você espera, lá está ele, tornando tudo, absurdamente complicado e apavorantemente delicioso...


Nenhum comentário: