sexta-feira, 3 de abril de 2009

Atitudes

Ela vinha caminhando pela calçada suja, com pedaços de plásticos e papéis no chão. Todos os dias a calçada estava assim, moradores de rua se refugiam por lá durante a noite e deixam o local imundo quando se levantam. Além do mais, é próximo a uma lixeira, daquelas grandes em frente aos prédios, aonde colocam os sacos para o lixeiro levar. De repente, ela pisa em um círculo de plástico, enrosca um pé, enrosca o outro, fica com as duas pernas presas e quase desaba no concreto. Sorte que seus reflexos estavam bons e consegui se livrar rapidamente da "armadilha".
Ela não xingou, não demonstrou qualquer sinal de aborrecimento. Simplesmente, pegou o círculo e o depositou na lixeira que estava um pouco atrás. Continuou seu caminho, como se nada a tivesse atrapalhado. São atitudes como essa que nos fazem pensar que o mundo ainda tem jeito. Elas nos enchem o peito de esperança e nos conforta porque sabemos que mais alguém está lá, na luta a favor de um mundo melhor.
*Claro que às vezes exageramos na nossa exaltação da cidadania, como quando gritamos no meio do vagão para o imbecil largar a porta que estava segurando para os demais entrarem. Ele manda a gente ir de táxi que é mais rápido e em nós fica aquele grito contido com vontade de dizer que de táxi é melhor mesmo porque não nos depararíamos com gente tão mal-educada quanto ele...

Nenhum comentário: