sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

O casal (casal?)

Eles moram na rua. Fizeram o seu ninho em um estrado de madeira com um colchão em cima, alguns lençois e cobertores, sacos plásticos com roupas e um guarda-chuva. Pronto, a casa estava ali, quase na esquina da rua, à sombra de uma árvore pequena. Pela manhã, o homem já tinha acordado e a mulher continuava a dormir, algumas vezes, eles dormiam de conchinha, outras, não se via nem um chumaço de cabelo. Depois do almoço, a mulher continuava lá, às vezes o homem chegava e eles dormiam. Um belo dia, a mulher não era mais mulher e sim um homem, de cabelos compridos, presos em um rabo de cavalo. Sua camiseta mais justa denunciava que não havia nenhum seio ali e seus pés grandes exaltavam a masculinidade reprimida.
A casa foi se expandindo. Mudaram-se, para duas casas mais a frente. A casa agora tem cobertura, uma lona azul e ganhou um novo integrante: um cachorrinho vira-lata preto. Ele até tem sua própria casinha com cobertura de guarda-chuva quebrado. O casal foi ficando, os vizinhos perceberam, assim como os cães carentes da redondeza. Outro cor de caramelo foi se acomodando por ali, um basset marrom pequenino também se aproximou, um vira-lata preto grande já pode deitar ao lado da "casa", mas a receptividade dos novos amigos foi hostil por parte dos moradores da casa. Dormir em cima do colchão, aos pés dos donos, só o pioneiro pode. O resto dorme ao redor, embaixo dos carros, debaixo das marquises das fábricas, esperando um mínimo carinho dos homens da casa.

Um comentário:

Thales disse...

Da onde vc tirou isso?