segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

De uniforme

Jogando conversa fora com uma prima minha começamos a lembrar dos nossos uniformes da infância. Como eram feios as cores, os modelos, e os logotipos. Quem nunca teve um uniforme azul ou vinho na escola? O azul variava, o meu era royal, o dela era marinho. As listras brancas laterais ganhavam destaque, assim como aquele tecido horroroso que esquentava no calor e nos deixava com frio no inverno.


O meu passou por fases e acompanhei todas, já que estudei no mesmo colégio toda a vida. Primeiro, ele era azul royal com detalhes em branco e cinza. A calça tinha uma de cada cor atrás do joelho, o casaco tinha o corpo na parte da frente branco com o P (o logotipo) discreto estampado. Já a camiseta, era branca com um fundo quadriculado na frente e um P do tamanho da barriga azul royal. Já mais crescidinha, ele sofreu uma modernização radical. Passou para o cinza! Bonito, de moleton, a calça tinha uma faixa mais grossa nas laterais com o nome do colégio em letras estilizadas (pareciam aquelas que vêm na Passatempo). O P gigante da camiseta ficou discreto e no cantinho. Quiseram incrementar e resolveram fazer também um moleton azul marinho. Aí, você podia combinar. Ou só cinza ou cinza e azul. Aí, na onda de colégios suíços, criaram uma saia-short, bem bonitinha, mas eu já tinha passado da fase de usá-la.

Também nos recordamos dos malditos elásticos na barra da calça. Pra que eles existiam, se a gente sempre cortava? E os da cintura, que vivíamos enrolando? Não podiam fazer um cavalo menor para as meninas? E os couros que as mães costuravam nos joelhos para não gastar tanto a calça? Graças a Deus, eu não era um molequinho e minha mãe não precisou economizar nas calças.


Depois de rir com as nossas breguices infantis, lembramos do tal casaco na cintura. Por que nós, meninas, não saíamos de casa sem o tal casaco amarrado na cintura? Podia estar 50 graus, colocávamos uma bermuda, uma camiseta e o raio do casaco na cintura. Qual era o nosso problema? Tínhamos vergonha dos meninos? Ainda se fosse só na aula de Educação Física, tudo bem, mas inclusive nela o bumbum estava coberto. Imagina jogar queimada ou futebol com o casaco se arrastando atrás de você. Já hoje, o evitamos ao máximo. Será que perdemos os pudores? Ou isso foi apenas uma moda passageira?

3 comentários:

Muriloooooooooo disse...

Odeio Uniformes...
não usaria JAMAIS um novamente... hauhiauhuahua

ale disse...

O casaco na cintura foi moda universal! (e olha q eu estou do outro lado do oceano)!
tod a gente usava o casaco atado à cintura e sem necessariamente ter uma utilidade era um acesório!
Mas sim, agora está out!

Thales disse...

Pior do que usar uniformes era ser a quinta geração a usar a mesma roupa. Imagina que a roupa passava pelo Paulo, pelo Neto, pelo Tão, pelo Alan e depois chegava em mim. Além de ultrapassada, vinha só o caramelo.