sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Memórias

Ontem fui rever alguns amigos do colégio. Há anos eu conheço algumas das pessoas que estavam ali. Algumas estiveram na minha classe desde o maternal, outras desde o ginásio, alguns desde o colegial. Já acampamos, já jogamos queimada, já brigamos, já trocamos de estojo, já levamos bronca, já passamos cola na hora da prova. É engraçado como algumas coisas ficam na nossa lembrança, mais engraçado ainda é ver fotos daquela época. O melhor é perceber o quanto melhoramos! Tem dias que eu acordo com algumas dessas lembranças. Do nada elas surgem.
Hoje, por exemplo, acordei com a música que cantamos na formatura do pré na cabeça. Como pode? Isso faz, simplesmente, 18 anos! (Nossa, bateu até uma depressão depois de fazer essa conta). Acho que tivemos tantos ensaios, tivemos tanto que decorar as letras que eu acabo lembrando até hoje. Essa tembám foi uma das primeiras vezes que subi em um palco. Ficávamos em degraus e cantávamos umas cinco músicas. Depois, entrávamos com uma beca azul-claro, recebíamos um canudinho e um ursinho do Papai Noel que estava lá, nos esperando com a sacola cheia. O ursinho, eu tinha até uns anos atrás. Ele tinha o uniforme da escola, um chapéu de formando e um diploma na mão.
Em uma das músicas, só as meninas participavam. A gente tinha uma tiara de flores no cabelo e fazíamos até uma coreografia. Cantávamos uma música sobre flores, que não devíamos machucá-las. Depois, cantamos uma em inglês, depois uma sobre baleias, passarinho. Tudo muito bem produzido e ensaiado aos olhos de uma criança de 6 anos. O tema deveria ser a natureza porque tudo girava em torno. Uma delas eu encontrei na internet. E aqui vai a letra:
Filhote do Filhote (não faço a menor idéia de quem seja)
Moro numa linda bola azul
Que flutua pelo espaço
Tem floresta e bicho pra chuchu
Cachoeira, rio, riacho
Acho que é um barato
Andar no mato
Vendo o verde
Ouvindo o rock'n'roll e o sapo ensaiando
De manhã cedinho
Os passarinhos dão 'bom-dia' pro sol
Cantando
Terra, Leste, Oeste, Norte, Sul
Natureza caprichosa
Tem macado de bumbum azul
Tem o boto cor-de-rosaÁrvores, baleias, elefantes, curumins
E o mundo inteiro está com a gente vibrando
A nossa torcida pela vida a gente vai conseguir cantando
Cuida do jardim pra mim
Deixe a terra florescer
Pensa no filhote do filhote
Que ainda vai nascer
O pior é lembrar como você cantava e como realmente é a letra... Nada tem a ver. Como criança é criativa! Aliás, não só criança. Até hoje, eu canto "Tem gente dentro...", naquela famosa música do Jorge Ben, "Engenho de Dentro".

Um comentário:

Thales disse...

Onde foi parar minha memória? Ela só funciona com estímulos que não sei provocar.