segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Salvem as estátuas!


O sol do final de semana mereceu uma manhã dedicada só para ele. Por isso, acordei cedo, cedo demais pra mim aos domingos e fomos ao parque. Andamos, abdominais (uma longa série de três), descansamos. No caminho de sempre na volta me deparo com algo bizarro, como muitos que acontecem em grandes cidades ecléticas como São Paulo. Talvez nunca tivesse reparado que há uma estátua na Praça Panamericana, mas dessa vez, ela estava impossível de não se notar. A estátua de Cristóforo Colombo (sim, descobri esse nome graças ao Google) trajava um colete salva-vidas. Desses que a gente ganha quando vai passear de escuna.


Na hora, pensei no meu blog. Uma bela postagem. Até tentei tirar uma foto, mas o farol abriu antes do tempo. Frustrada, já pensei que ficaria sem assunto em plena segunda de manhã. Mas o Google salva nossas vidas e encontrei não só a fotinho, mas também o que significava aquilo tudo. Meu primeiro pensamento foi de um doido qualquer zoando a estátua da praça, Thatha foi mais além, era um protesto contra as enchentes de São Paulo. É, fazia mais sentido.


Comecei a escrever e parei para realizar a minha busca. Descobri que os coletes fazem parte de uma instalação do artista plástico Eduardo Srur, o mesmo que colocou as gigantes garrafas PETs iluminadas na Marginal. O projeto ganhou o nome de "Sobrevivência" e seu objetivo é chamar a atenção aos monumentos já esquecidos da cidade. É, realmente deu certo. Se eu não sabia que existia uma estátua na Praça Panamericana, agora ela está bem visível. Ao todo, são 15 monumentos da cidade que agüentam qualquer enchente.


Um comentário:

Thales disse...

Haha... Sensacional a idéia do rapaz.
Eu jurava que era um protesto, talvez porque eu seja um sujeitinho mais revoltado.
Beijos