sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Elas ou eles

Corpão, alta, loira, rabo de cavalo no alto da cabeça, óculos escuros, roupa colada no corpo, salto alto, bumbum empinado, seios à mostra, lábios carnudos. Lá ia ela entrando no metrô. Mas, um momento. Que boca esquisita! Que rosto grande! Que cabelo artificial! Que corpo de homem! E era isso mesmo o que vocês estão pensando. Um homem. Lá ia ele entrando no metrô. Corpão, alto, loiro, rabo de cavalo, óculos escuros, roupa colada no corpo, salto alto, bumbum empinado, seios à mostra, lábios carnudos. Um homem fantasiado de mulher. Parecia brincadeira, mas não era.
Sua boca era maior e mais articificial do que a da Karina Bach; seus seios, durinhos embaixo do decote; suas unhas, mais bem feitas que as minhas; seu bumbum sem nenhuma celulite, revelando que só os homens conseguem essa façanha. E como se equilibrava em cima do salto! Parecia desfilar para uma platéia que não conseguia desviar o olhar.
Depois da primeira impressão, os espectadores conseguiam notar que, atrás dele, seguia um outro moço saltitante. Magrinho, pele e osso, mulato claro, cabelo ruim escondido por um boné com estampa de glitter. Parecia a Lacraia quando tentava acompanhar os passos do travesti. Regata justa no corpo, calça jeans presa por um cinto de tachinhas, ele levava uma maletinha prateada em uma das mãos, iguais a essas que usamos para guardar maquiagem e bijuteria.
O trem chegou, os dois entraram, sentaram-se e continuam a animada conversa, sem se importar com os olhares repreensivos, assustados, acusadores e intrigados dos passageiros do vagão. O Loirão olhava para suas unhas, a fim de descobrir alguma falha. A Lacraia puxava conversa a todo instante. Chegaram ao seu destino e ambos saíram da estação assim como entraram, sem se abalar com o resto do mundo.

2 comentários:

Thales disse...

Que nojo! Começou tão bem...

Ale disse...

Claro! Se ele não tem celulite vai-se importar com o quê? ;P