quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Amigos lá fora


Barcelona, Austrália, Buenos Aires, Canadá, Chile. O que esses países têm em comum? Meus amigos. Eles estão lá, trabalhando, estudando, juntando dinheiro, tentando uma vida melhor e procurando alternativas. Alternativas à falta de mercado e de empregos satisfatórios ou até mesmo alternativas para o futuro. Por que tudo não fica claro antes de escolhermos qual faculdade vamos fazer, qual curso está na moda, qual é o mais concorrido? Quando vamos prestar vestibular deveria ter um link na internet contando as experiências de recém-formados naquela profissão.

Mas acho que o motivo nem sempre é profissional. Talvez seja pra espairecer ou fugir um pouco de tudo o que acontece ao redor. Pode não ser a melhor alternativa, mas pode funcionar. Nunca fiz intercâmbio. Já tive vontade, claro. Acho que pela cabeça de todos já passou essa idéia. Vemos isso como uma oportunidade para mudar de vida, uma maneira de transformar o presente e não deixar que nosso futuro previsto se realize. Mas nunca fui, nunca tomei a iniciativa de realmente querer. Se fosse por pouco tempo, acredito que iria numa boa, mas se fosse por uns seis meses ou mais, aí complica. A palavra certa para explicar isso é o medo.

O primeiro medo é de gostar muito, tanto a ponto de não querer voltar. O segundo medo é de deixar o que está aqui. E se quando eu voltar nada estiver mais desse jeito? O terceiro é o medo do desconhecido, claro. Admiro aqueles que vão com a cara e a coragem. Admiro aqueles que realmente ficam e passam por cima da saudade

O engraçado é que a maioria foi e está indo por situações parecidas: vida profissional insatisfeita, mercado saturado, sem oportunidades vantajosas de trabalho. Todos os que conheço se deram bem, uns mais do que outros, mas todos sentem saudades absurdas e pretendem voltar, mesmo que seja daqui a 6 meses ou 2 anos. Afinal, nada pode ser comparado ao nosso lar. A vantagem de quem fica? Amigos ao redor do mundo para visitar! Um beijo a todos os meus amigos que mesmo longe, estão no meu coração!

4 comentários:

Thales disse...

Cazinha... Acho que teu medo não pode minimizar tua vontade. Enxergue-o como outro desafio: vencê-lo.
Entendo muito do que escreveu, mesmo porque compartilho algumas coisas.
Acredito que você tenha quase tudo na mão para uma dessas aventuras...
Arrisque!
Beijos, Linda.

Ale disse...

Agora senti-me excluída! Portugal também é país tá! e tens mesmo de dizer ao Thales que isso de te chamar "cazinha" nos comentários é piroso (foleiro)... ;p
bj

Camila Ciberi disse...

O que é piroso?? Ou foleiro??
Querida, não esqueci de você não! Achei que você já estivesse em Barcelona!

Ale disse...

ah meu deus, vcs n sabem o q é piroso? foleiro? pimbalhoco?.. uhm.. deixa-me pensar eu acho que vocês dizem "cafona".. é mais ou menos isso.. imagina, o thales diz "ai cazinha meu amorzinho" e tu respondeu"ai thalezinho meu xuxuzinho" eh pah, isso é piroso! ;P