sábado, 30 de agosto de 2008

Mexe mexe que é bom - parte 2

Os gritos eram insurrecedores. As fãs levantaram faixas, flores, ursinhos. Todas se aglomeraram bem pertinho do palco. A produção do show era muito legal, a minha primeira impressão foi que eu estava dentro de uma daquelas propagandas das Lojas Marabraz da época do Natal. Não demorou muito para que a idolatria à dupla começasse a me irritar. Havia mais câmeras e celulares do que mãos para cima. De repente, uma mulher gordinha entra na frente da minha amiga e quase cai em cima dela par tentar tirar uma foto. Acho que ela achou que o zoom funcionasse conforme você se afastava da câmera. Minha amiga colocou o braço para se defender do peso da mulher e disse que ela estava caindo. Foi quando ela virou: "Num tô caíno não, Fia".

Ainda persistimos mais um pouco no lugar em que estávamos. Depois de umas duas músicas, alguns caipiras bêbados entraram na nossa frente. Um deles não parava de bater em mim e cambalear do meu lado. Não costumo perder assim rápido a paciência e nem ser grossa nessas situações, mas não suporto gente folgada. Então, dei um empurrão no cara que ele voou em cima de umas cinco pessoas. Por fim, desistimos do meio da pista. Minha amiga começou a ficar com calor e fomos para o fundão. Conseguimos respirar aliviadas e até ter uma visão melhor do palco. Enquanto isso, o Zezé gritava: "Pessoal, vamos fazer de novo essa. Agora quero ouvir vocês gritarem mais". E lá ia o povo, gritando junto com a dupla.

A repetição foi cansando, cansando, já era o décimo "Faz mais uma vez comigo, uou, uou" que escutávamos. Sentamos no chão para passar a dor no pé e descansar um pouquinho. No "Ai ai ai , esse amor", levantamos, dançamos um poquinho. Minha amiga ainda delirava pelo Luciano desde o começo do show (desculpa, Xuxu, mas tive que contar). Acabando a música, o Zezé pergunta para a platéia: "Vamos fazer essa mais uma vez?". A multidão não se conteve: "Não!!". Mesmo com a resposta negativa do público, eles repetiram mesmo assim. Até a suíte com as amigas do filho ou da filha do cantor virou de costas e continuou o papo animado regado a muita bebida e cigarros.

Ainda tentamos repor as energias lá fora, mas quando setamos no chão junto com muita gente que já não aguentava mais o show, tivemos a certeza de que era melhor irmos embora. Fomos, nós e muita gente que, na fila, achava que esse seria o melhor show da dupla. Eu cheguei não achando nada da dupla, mas fui embora com uma certa raiva pelo desrespeito com o público. Minha amiga acabou inconformada, mas prometendo que me levaria ainda nos ótimos shows do Zezé Di Camargo e Luciano.

2 comentários:

Maria Augusta disse...

Quanto ao Luciano, não tenho a menor vergonha, ele é lindo mesmo e eu caso com ele se ele quiser (gaaaato).
Agora, vc esqueceu de comentar do deus grego que estava na nossa frente, que até me ofereceu uma música.... poxa, foi tão marcante e vc esquece assim???? que decepção....

Anônimo disse...

Ai, Xuxu, me esqueci!!! E a música era linda, né?? Você ficou tão emocionada que no blecaute até quis agarrar o moço, mas eu puxei você pro fundo e te salvei do deus grego....rsrsrs.