terça-feira, 26 de agosto de 2008

Blog?


Afinal, pra que serve um blog? Nunca fui muito fã dessas novas tecnologias. Tem gente que faz site, mil blogs, nove perfis no orkut e vive conectado na internet. Sempre estou também, não vou mentir, mas porque trabalho na frente de um computador e é inevitável pesquisar na internet, conversar pelo MSN e ter um perfil no orkut, apesar de não ser muito a favor desse meio de comunicação.


Com o orkut, ninguém mais te liga pra dar parabéns, para combinar de sair ou mesmo pra perguntar se está tudo bem. A cada dia, as pessoas se tornam mais distantes, mas ao mesmo tempo, mais próximas virtualmente. O problema é que eu também faço isso. É mais fácil entrar no orkut e desejar parabéns ao invés de ligar pro seu amigo?


Não costumo ler blogs de ninguém, na verdade, nunca pensei que criaria um meu. Não via muita utilidade até me deparar com uma crise profissional. Sou jornalista, formada em 2006 e desde o final da faculdade fico me perguntando se eu escolhi ou não a profissão errada. Algumas vezes, acho que acertei, outras, que errei feio. Hoje, não faço a menor idéia. Gosto de escrever, mas não preciso ser jornalista para isso. Aliás, a maioria das vezes em que escrevi não foi por vontade própria. Depois de formada, não encontrei nenhum trabalho que me desse um sorriso no rosto quando levanto. Tudo o que eu sonhava em trabalhar, precisava de QI. Foi por isso que não estou mais no meio jornalístico e esse é o principal motivo do meu blog: escrever e provar que não desperdicei quatro anos da minha vida lendo sobre Morin, ouvindo sobre Hannah Arendt e produzindo mil matérias fictícias para passar de ano.

5 comentários:

Maria Augusta disse...

que crise hein xuxu?! acho que vc tem que se dedicar a patinação....

Thales disse...

Eu sempre me cobrei em muitas coisas, e uma delas é em relação a proximidade com meus amigos.
Lamento ser mais um que, assim
como você, deseja 'feliz aniversário' e pergunta 'tudo bem?' através de um scrap.
Ultimamente tenho evitado esse tipo de recurso, porém isso ainda não me disciplinou a telefonar para meus queridos amigos.
Mas agora, principalmente, lamento essa sua indecisão sobre 'escolha certa'. Acho que durante muito tempo compartilhei com você o sonho de Mulher do Tempo ou apresentadora do Jornal Nacional. Porém a lamentação será enorme se eu estiver ao teu lado quando você simplesmente desistir dos seus sonhos. E eu acredito que isso ainda não é fato...
Beijos, Amor.

Thales disse...

Ah... Meu ultimo comentário pareceu meio triste, né? Não queria que esse fosse o resultado.
Escolha pensar que você não desperdiçou quatro anos da tua vida, afinal muita coisa aconteceu nesse período e não somente Morin ou Hanna-alguma-coisa.
Na melhor das óticas, você conheceu pessoas maravilhosas que poderão te acompanhar pelo resto da vida, pessoas que durante muito tempo compartilharam dos mesmos sonhos e sentimentos que você, viu pessoas chegando e partindo, riu, sorriu, chorou, pulou, comeu, tomou, e até aprendeu coisas nas aulas de Jornalismo.
Vem comigo, Pequena.
Beijos

Marília disse...

Cá...não precisava confessar as matérias fictícias né...rsrsrs...não pense que desperdiçou tempo, nada é por acaso, nenhum minuto na nossa vida é perdido....dúvidas, inseguranças, questionamentos sempre vão existir, até o último dia de nossas vidas..a solução é saber aproveitar o lado bom de tudo isso....ahhh, vamos nos ligar mais hein, e nada de parabéns via orkut..

bjocas
Lia

Ale disse...

quer dizer q vcs aí no brasil também levam com a Hanna Arendt? Que bom, pensava que eramos só nós aqui em Lisboa... e eu n tnh orkut! ;P